As segundas não são assim tão negras! #2

segunda-feira
segunda-feira

No primeiro capítulo desta rubrica, falámos sobre a entrada na universidade e como nos adaptamos a uma nova fase da nossa vida, em que tivemos de descobrir o desconhecido. Além da questão dos relacionamentos que falámos, existe também o stress dos exames e de conseguir terminar o curso. Algo que no início pode ser extremamente stressante e mesmo desmotivador para a maior parte dos estudantes. (É engraçado que estou a escrever como se ainda fosse estudante). Mas existe outro ponto essencial para se chegar ao sucesso, as atividades extra curriculares.

I: Muitas vezes a maior parte da nossa vida académica é focada nas notas, em obter bons resultados. Durante toda a minha vida pratiquei exercício físico, mas só no último ano do mestrado é que percebi realmente a importância que o exercício tem para mim e de que forma consegui ultrapassar as minhas inseguranças e perceber o verdadeiro significado de superação. Não sei se para ti Raquel significou o mesmo…

R: Em alguns dias sim, outros dias nem tanto…quando fazia sentia-me muito bem, parecia que podia conquistar tudo e todos, o que na altura era óptimo para ter uma motivação extra. Mas verdade seja dita, havia semanas que fazia consistentemente noutras nem tanto. A minha relação com o exercício sempre foi ou oito ou oitenta. Estou a tentar que se torne um hábito regular, sem pensar muito porque quando penso demasiado a corrida ou a caminhada não acontecem. Amanhã lá estarei na minha primeira aula de Cycling!  Wish me luuuuck ehehe

I: ahahah vai correr bem de certeza. Por falar em cycling…foi nas aulas de cycling que percebi o verdadeiro significado da palavra “superação”.Nas primeiras aulas tive imensa dificuldade em me levantar na bicicleta mas não desisti e ao fim de um mês já aguentava 5 minutos de pé, algo que na primeira aula me parecia impossível!!! E esta suposta impossibilidade tornou-se uma grande vitória para mim, porque mais uma vez a verdade é esta “com esforço conseguimos tudo. O importante é lutar e acreditar sempre”. E acredito que é isto que retiro todas as vezes que vou ao ginásio, mesmo quando não houve nenhuma superação…o importante é não desistir e continuar. Sem dúvida que o ginásio ajudou-me não tanto a nível físico mas sim a nível psicológico e agora não quero outra coisa.

Experimentem fazer do exercício físico uma rotina e partilhem connosco as mudanças que sentiram a nível psicológico.

Inês e Raquel.

Share:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

ÚLTIMOS VÍDEOS